Contos Eróticos

Fodendo com meu colega de trabalho

 18 de novembro de 2016  

Olá! Meu nome é Fabiane, tenho 26 anos,sou casada, loira, tenho 1.64m, 52 quilos, me considero uma mulher atraente.

Casei bastante cedo, tinha 18 anos, apesar de algumas pessoas me dizerem para aproveitar um pouco mais a vida. Mas, sabe como é, mulher quando se apaixona, quer logo estar “grudada”.

Os quatro primeiros anos foi tudo uma maravilha, saíamos para dançar, viajar, e nossa vida íntima era uma maravilha. Mas, aos poucos, as coisas foram esfriando. Festas, lá de vez em quando, viagens sempre as mesmas, e sexo era coisa rara.

Minhas amigas e colegas de trabalho começaram a notar que aos poucos meu humor estava alterando. Antes eu que era sorridente, ficava longos períodos desanimada, quando começavam a falar de sexo eu desconversava e dizia que tinha muitas coisas para fazer.

Um dia chegou um colega novo no trabalho, um deus grego! Moreno, com um corpo muito gostoso, um rosto lindo e extremamente simpático. Mas eu, como era casada, não dava muita confiança. Aos poucos ele foi se chegando, conversávamos sobre muitas coisas.

Todo o dia ele me elogiava, falava que tal calça tinha ficado muito bonita, que a blusa que eu estava usando era muito sensual, etc. Certo dia ele disse que a calça que eu estava usando tinha deixado minha bunda uma delícia e que meu marido era um sortudo de ver tudo aquilo todo o dia. Fiquei vermelha de vergonha, mas adorei o elogio e fiquei muito excitada com aquilo, afinal, meu marido nem mais me notava ou fazia qualquer elogio. Comecei a ir trabalhar com roupas cada vez mais provocantes, e adorava as coisas que ele me dizia, que a cada dia ficavam mais apimentadas.

No final do ano, como em toda empresa, tínhamos combinado uma festa. Eu tinha dito que não iria, pois meu marido não gostava muito das nossas festas, pois, sempre acabava ficando de lado, uma vez que acabávamos falando de trabalho. Mas, dois dias antes da festa meu marido acabou tendo que viajar para resolver alguns problemas da empresa dele e ficaria cinco dias fora. No dia da festa, com peso na consciência, acabei indo, pois estava muito entediada e não tirava da cabeça os elogios do meu colega. Coloquei um vestidinho curtinho, pretinho, que deixavam meu corpo bem marcado.
Chegando lá, meus colegas me olharam com de uma forma que nunca tinha acontecido antes, brincavam dizendo que se meu marido me pegasse vestida daquele jeito quando eu chegasse em casa ele, certamente, me deixaria morta de cansada depois de tanto sexo. Mal sabiam eles que estava sozinha.
Meu colega se aproximou de mim e falou baixinho, para que ninguém ouvisse: “Nossa! Você está uma delícia! Se você não fosse casada eu te levaria agora mesmo daqui e te devoraria!”. Dei um sorriso safadinho pra ele e respondi: “Gostou? Estou usando isso pra você. Talvez eu posso te mostrar mais…”
Depois disso, ele enlouqueceu, dançávamos e brincávamos sem dar muita bandeira. Numa das músicas, encostei no ouvido dele e disse:” Vou até o banheiro e volto com uma surpresinha”. Quando retornei, pedi para que sentássemos um pouco, pois, estava cansada. Tinha escrito um bilhete e entreguei enquanto caminhávamos para a mesa, dizia: “Olha por baixo da mesa”. Ele deixou cair o celular no chão e se abaixou para olhar, então viu minha bucetinha, completamente lisinha à mostra. Quando ele sentou de novo eu disse: “Estou cansada, preciso ir para casa”. Ele entendeu que era uma indireta e disse que também iria para casa. Para não dar bandeira pedi para uma colega me acompanhar até o carro. Saí dali e parei num posto que havia logo adiante do lugar da festa. Ele parou em seguida e veio falar comigo: “Eu entendi direito? Não quero fazer nenhuma bobagem”. Eu respondi: “Mas eu quero fazer todas e mais um pouco”. Dali fomos para um motel.
Chegando lá, entramos no quarto, eu complemente nervosa, pois estava com um sentimento de culpa, mas ele logo começou e me beijar e passar a mão pelo meu corpo inteirinho. Então me entreguei àquele momento.
Ele me pegou de costas e começou a beijar meu pescoço, enquanto roçava seu pau na minha bunda. Senti que era maior que o do meu marido. Ele tirou meu vestido e começou a alisar minha bucetinha que já estava sem calcinha, tirou o sutien e alisou meus peitinhos, começou a me beijar todinha.
Logo, ele me virou e eu comecei a tirar sua roupa, peça por peça. Quando cheguei na cueca, comecei a passar a língua em seu pau, que estava muito duro. Aos poucos fui tirando com a boca, até saltar aquela coisa deliciosa. Era grande, mas fiquei impressionada com a grossura, não tive dúvidas e abocanhei, mal cabia na minha boca, mas estava delicioso.
Ele me deitou na cama e começou a chupar minha bucetinha, me levando às nuvens. Então, vagarosamente foi subindo até que seu pau encaixou na entrada da minha bucetinha, ele foi lentamente enfiando aquele cacete grosso, enquanto eu delirava, pois nunca tinha sentido uma coisa daquelas me penetrando. Ele metia forte e eu gemia alto, pedindo para que comesse a sua putinha.
Ele ficou mais tarado ainda quando eu disse isso. Pediu para que eu ficasse de quatrinho. Logo atendi. Aquela vara gostosa me arrebentando toda a bucetinha e eu pedindo mais. Não aguentei e gozei feito uma cadela no cio! Ele tirou seu pau de dentro da minha bucetinha e começou a forçar a entrada da minha bundinha. Doía muito, mas eu estava tão enlouquecida e fazia tanto tempo que não sentia um pau me comendo que não pude negar. Aos poucos ele foi enfiando seu pau grosso no meu cuzinho enquanto eu gemia de dor e prazer. Aos poucos fui me acostumando e ele enfiando cada vez mais rápido. Ele dizia que meu cuzinho era uma delícia, que nunca tinha fudido um rabinho tão gostoso, comecei a rebolar como uma puta, pois aquelas obscenidades todas me davam mais tesão, depois de um tempo senti um líquido quente escorrendo dentro do meu rabinho. Meu macho tinha gozado. Achei que teria um tempinho para me recuperar.
Ele então deitou ao meu lado e pediu para que eu sentasse no seu cacete. Atendi o seu pedido e fiquei cavalgando no pau dele, logo não resisti e gozei outra vez, enquanto ele enfiava aquele lindo cacete na minha bucetinha. Ele começou a gemer e mandou que eu ficasse sentada, tirou o pau da minha xoxotinha e enfiou na minha boca, logo senti o seu gozo na minha garganta, e não consegui deixar sair, acabei engolindo todo o leitinho dele. Depois disso ficamos deitados um pouco nos recuperando, nos arrumamos e fomos pegar nossos carros. Quando abri a porta do carro ele entrou do outro lado e disse que queria dar uma metidinha de boa noite. Baixei minha calcinha e fiquei de ladinho, ele logo enfiou seu pau outra vez na minha xoxotinha e me comeu ali mesmo. Me chamava de putinha, que queria ver a cadelinha dele gozar outra vez, não aguentei muito tempo e comecei a lambuzar ele com o melzinho da minha bucetinha. logo depois ele encheu minha bucetinha de leite. Então nos recompomos, nos beijamos ardentemente e nos despedimos.
Depois disso, passei a ter um caso com ele, saíamos no horário do almoço para uma “comidinha especial” como ele dizia. Ficamos quase um ano como amantes. Hoje, somos apenas amigos, mas, às vezes, ainda vamos para a nossa “comidinha especial”. Continuo casada, meu marido nem sonha que dou minhas escapadinhas, com o colega de trabalho ou algum outro amigo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s